Sylvio do Amaral Rocha

Sylvio do Amaral Rocha é um cineasta que tem como principal fonte de inspiração a cultura brasileira. Amante da tradição oral e do folclore, fundou em 2003 a Confraria, produtora que, além de filmes publicitários, especializou-se na realização de documentários que traduzem em imagens as particularidades do país.

Formado em cinema pela FAAP em 2002, começou a estagiar com audiovisual aos 17 anos no programa Repórter Record, então comandado pelo Jornalista Goulart de Andrade. Também frequentou por três anos a faculdade de História da PUC-SP e estudou cinema na Escuela Internacional de Cine de San Antônio de Los Baños, em Cuba. Atualmente, faz mestrado em Comunicação e Semiótica na PUC-SP.

Há 12 anos, Sylvio passou a levar esta experiência para as salas de aula, ministrando oficinas de audiovisual nas quais busca despertar nos alunos todos os tipos de interesses. No site da revista Veja, mantém a coluna Imagens em Movimento, que conta a história do cinema por meio de vídeos, documentários, trailers e comerciais disponíveis na internet.

Entre outros trabalhos, dirigiu, pesquisou e montou os documentários Somos Todos Sacys, que refaz os caminhos percorridos em 1917 por Monteiro Lobato para escrever o livro Sacy-Pererê: Resultado de um Inquérito; Tic Tac, que conta a história de Mister Lin, um relojoeiro taiwanês que mora em São Paulo há mais de três décadas; Loucura Mansa, uma homenagem ao bibliófilo José Mindlin, morto em 2010; Pro Brasília Fiant Eximia, sobre a Revolução Constitucionalista de 1932; e Rubens Paiva, Desaparecido desde 1971, sobre a história do engenheiro civil e político desaparecido durante a ditadura militar no Brasil.